Poodle

Poodle

Companheiro e Inteligente


O Poodle é, sem dúvida, uma das raças mais populares em todo mundo e isso se deve a diversos fatores, entre eles a própria antigüidade da raça, que, segundo vários historiadores é conhecida há 6 séculos.

História

Apesar de a origem do Poodle ser atribuída à França, onde são chamados de “Chien Canne” ou “Caniche”, aparentemente o berço da raça é mesmo a Alemanha, onde é chamado de “Pudel”, derivado de palavra “pudelin” que significa “jogar-se na água“. De qualquer forma, foi na França que o Poodle desenvolveu sua estrutura atual e onde, freqüentando as cortes dos reis franceses desde Luis XIV, ganhou a popularidade que desfruta hoje.

O Poodle era, originalmente, usado para a caça aquática, onde desempenha a função de recuperar as aves abatidas que caiam na água. Foi também utilizado pelos franceses e ingleses como ‘cão trufeiro’, com a missão de utilizar seu excelente olfato para descobrir trufas debaixo da terra.

Mas foi como cão de companhia que o Poodle se tornou uma das estrelas da cinofilia, estando entre as raças de maior número de registros em diversos países, inclusive no Brasil, onde estima-se que represente mais de 17% da população canina (dados de 1997).

Infelizmente, a popularidade trouxe à raça uma série de problemas, desde físicos até de temperamento, muitos deles ocasionados por acasalamentos não recomendados e falta de rigor dos pseudo-criadores, que se aproveitam da falta de conhecimento da grande maioria das pessoas e comercializam exemplares que pouco ou nada respeitam os padrões da raça, quer quanto à cor, tamanho e, especialmente, temperamento dos cães.

Temperamento

O Poodle é um cão muito especial, nunca se considerará um cachorro, ele é parte da família! Acostumem-se a falar com ele, ele pode entender a entonação das palavras e os gestos de mão. Em pouco tempo entenderá tudo e até para a família parecerá mais pessoa que cão.

Gosta de carinho e convívio com as pessoas detestando que o deixem sozinho. Ao adquirir um Poodle nunca devemos esquecer que ele é um cão de companhia. Se as circunstâncias domésticas obrigam a deixar o Poodle sozinho durante muitas horas é melhor neste caso ter dois, assim um fará companhia ao outro.

É um animal de inteligência notável, vivaz, carinhoso e alegre, dócil, obediente, afetuoso e de fácil adestramento, apesar de não ser adequado como guarda, devido sobretudo a sua docilidade, ele latirá se observar alguma coisa fora do comum. Observará tudo com atenção e uma vez que aprenda um exercício nunca esquecerá.

Adora ter seus brinquedos e faz questão de guarda-los num lugar especial, que pode ser a própria caminha. São um pouco temperamentais e caso lhe chame atenção muito forte, ficará magoado, mas logo voltará ao normal, o importante é que todos os membros da família o ensinem a se comportar corretamente, pois caso somente um lhe eduque e os demais só lhe façam afagos, ele nada aprenderá.

Os Poodles são extremamente sensíveis, ficam felizes quando vêem seus donos contentes, e tristes quando alguma coisa não vai bem. Se adaptam aos mais diversos donos em todas as idades. É um companheiro tranqüilo e compreensivo para as pessoas idosas, paciente e seguro com as brincadeiras das crianças, assim como pode ser um alegre entretenimento para pessoas que vivem sozinhas.

Possui uma grande capacidade de afeto e fidelidade e será o companheiro inseparável de toda a família.

Cuidados Essenciais Com a Pelagem

Para cuidar de seu Poodle e te-lo sempre saudável você irá precisar tomar alguns cuidados essenciais, vai exigir uma disponibilidade de tempo da sua parte diariamente.
Um cuidado grande que precisa é com o pêlo já que é encaracolado e embaraça facilmente criando nós que se tornam impossíveis de tirar levando o dono a tosar o animal.E existe um problema que muitos donos não gostam de tosar seu animais as vezes por questão de estética ou as vezes por estarem em regiões mais frias.
Mas para que isso não aconteça o dono tem que se comprometer a escovar os pêlos diariamente do animal evitando assim que embarace.

A higienização do animal deve ser feita através do banho que pode ser dado uma vez na semana ou no máximo 1 vez a cada 15 dias, quando adulto.Você mesmo pode dar ou pode levá-lo ao pet shop, se optar pela 2º hipótese tenha confiança no local onde leva e tenha certeza que o animal não volta estressado demais ou com machucados.Escovar os dentes, limpar o ouvido, cortar as unhas também devem fazer parte dessa higienização do animal.Mas as unhas deixe alguém que entenda cortar já que a unha de alguns cachorros são pretas e você pode cortar algum vaso sanguineo.

A pelagem farta do Poodle lhe rendeu o título de “campeão quanto às formas de se tosar”. Só para se ter uma idéia, o livro “The Complete Poodle Clipping & Grooming” ilustra 54 tipos de corte.

Segundo diversas fontes, as formas de tosar o pelo dos Poodles era diretamente vinculada às atividades que desenvolvia. O corte conhecido como “leão” (retirada do pelo dos quadris, deixando pelo farto em volta dos peito e dos joelhos) foi criado para aliar proteção, e versatilidade na água, à beleza e equilíbrio do cão.

Entre os tipos mais comuns estão a Tosa de Verão, Carneirinho (não aceitas para apresentação em exposição), a Leão e a Moderna (aceitas em exposição).

Uma característica curiosa é que, apesar do pelo crescer mais rapidamente que o das outras raças, o Poodle não perde pelos como os outros cães. Mas mesmo com essa ‘facilidade’ é preciso cuidados especiais com a pelagem do Poodle. O ideal é que receba escovação diária para evitar nós, banhos e tosa regulares. Além de uma atenção extra para não deixar o pelo molhado e evitar assim, o aparecimento de fungos e outros problemas de pele.


Saúde

Um dos principais problemas de saúde que afeta os Poodles é a Otite (inflamação do ouvido), propiciada pela posição ‘caída’ das orelhas e dos tufos de pêlos dentro delas, que retém umidade. A prevenção é feita basicamente evitando que entre água durante o banho, e através de procedimentos regulares de higiene.

Além da otite, a raça é especialmente sensível a:

  • Luxação da Patela – um deslocamento do osso do joelho, comum em raças pequenas, que causa dor e dificuldade para andar.
  • Displasia – má formação no encaixe da cabeça do fêmur com a bacia. Essa má-formação é mais característica em raças grandes, mas pode aparecer também nos Poodles.
  • Atrofia Progressiva da Retina – que consiste na perda gradual da visão podendo levar o cão à cegueira total. Segundo dados do clube americano da raça, 25% dos Poodles desenvolvem a doença para a qual não há tratamento.
  • Dentição dupla – recomenda-se a extração dos dentes de leite, por favorecer o desenvolvimento do tártaro.
  • Outra característica comum em cães brancos são as manchas na pelagem sob os olhos, causadas pelas lágrimas.

Padrão Oficial CBKC

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA
Filiada    à  Fédération  Cynologique  Internationale
Classificação  F.C.I.:

Grupo  9
Seção 2

­ Cães de companhia
­ Poodle

Padrão  FCI  n 172 ­ de 18 de abril de 2007.

País de origem:  França
Nome no país de origem:  Grand Caniche, Caniche Moyen, Caniche Nain, Caniche  Toy
­Utilização: Companhia, sem prova de trabalho

RESUMO: etimologicamente a palavra francesa “caniche” vem de “cane”,  palavra  francesa  para  a  fêmea  do  pato.  Em  outros  países,  a  palavra  faz
referência à ação de agitar o bico na água. Em sua origem, ele era empregado na caça  de  pássaros  aquáticos.  É  descendente  do  Barbet  de  quem  conservou  muitas características.  Em  1743,  era  chamado  “la  caniche”:  a  fêmea  do  Barbet.  Por conseqüência o Barbet e o Caniche foram progressivamente separados. Os criadores se esforçaram para obter exemplares originais e de cor uniforme. O Poodle tornou-se muito popular como cão de companhia, graças ao seu caráter amável, alegre e fiel, e
também devido aos seus quatro tamanhos e suas diferentes cores que cada um pode escolher segundo sua preferência.

APAR ÊNCI A  GE RAL:  cão  de  tipo  mediolíneo,  de  pelagem  encaracolada
característica,  cacheada  ou  encordoada.  Tem  aspecto  de  um  animal  inteligente, constantemente em alerta, ativo, harmoniosamente construído, dando uma impressão de elegância e altivez.

PROPORÇÕES  IMPORTANTES:
·  o comprimento do focinho é de aproximadamente 9/10 do comprimento do crânio.
·  o comprimento (do ombro ao ísquio) do corpo é ligeiramente superior a altura da cernelha.
·  a altura da cernelha ao solo é sensivelmente igual a altura do topo da garupa ao solo.
·  a altura do cotovelo ao solo é 5/9 da altura na cernelha

C O M P O RTAM E NT O   /  T E M P E R AM E NTO :  cão  reconhecido  por  sua
fidelidade,  apto  a  aprender  e  a  ser  treinado,  o  que  faz  dele  um  cão  de  companhia particularmente agradável.

CABEÇA: distinta, retilínea, proporcional ao tronco. A cabeça deve ser bem cinzelada, sem ser pesada mas igualmente sem refinamento excessivo.

REGIÃO  CRANIANA
Cr ânio:  sua largura é inferior a metade do comprimento da cabeça. O crânio, visto de cima apresenta um aspecto oval e de perfil, ligeiramente convexo. Os eixos do crânio e focinho são ligeiramente divergentes.

Arcadas Superciliares: moderadamente salientes, revestidas de pêlos longos.

Sulco  Frontal:  largo  entre  os  olhos,  estreitando­se  em  direção  ao  occipital,  que  é bem marcado. Nos Poodles Toy, o  occipital pode ser menos marcado.

Stop:  pouco  marcado.

REGIÃO
Tr ufa: desenvolvida, com perfil vertical; narinas abertas. Trufa preta nos exemplares pretos, brancos e cinzas; marrom, nos exemplares marrons; nos exemplares abricós ou fulvo avermelhado a trufa é marrom ou preta.

Focinho:  perfil  superior  bem  retilíneo,  seu  comprimento  em  torno  de  9/10  do comprimento  do  crânio.
Os ossos laterais do maxilar inferior são quase paralelos. De aspecto sólido. O perfil inferior do focinho é delineado pela mandíbula e não pelo bordo do lábio superior.

Lábios: moderadamente desenvolvidos, bastante secos, de espessura média; o lábio superior pousa  sobre  o  inferior,  sem  ultrapassá­lo.  Pretos,  nos  exemplares  pretos, brancos e cinzas;  marrom, nos exemplares marrons. Nos exemplares abricós e fulvo avermelhados, são marrons mais ou menos escuros ou pretos. As comissuras labiais não devem ser evidenciadas.

Maxilares / Dentes: articulados em tesoura. Dentes sólidos.

Bochechas:  não  salientes,  se  ajustando  à  estrutura  óssea.  Arcadas  suborbitais cinzeladas e pouco pronunciadas. Arcadas zigomáticas muito pouco salientes.

Olhos: de expressão fogosa, inseridos no nível do stop e ligeiramente oblíquos. De forma  amendoada.  Pretos  ou  marrons  escuros. A  orla  das  pálpebras  confere  aos olhos uma forma amendoada. Nos exemplares marrons, os olhos podem ser de cor âmbar  escuro.

Pálpebr as:  borda  das  pálpebras  preta  nos  exemplares  pretos,  marrons,  brancos  e cinzas; marrom nos exemplares, marrons. Nos abricós ou fulvo avermelhados, marrom ou  preto.

Or elhas:  bastante  longas,  portadas  pendentes  ao  longo  das  faces,  inseridas  no prolongamento  de  uma  linha  traçada,  da  parte  superior  da  trufa  e  passando  sob  a comissura externa do olho; planas, alargando-se após a inserção e arredondadas nas extremidades, recobertas por pêlos ondulados e muito longos. A cartilagem da orelha deve alcançar a comissura labial.

PESCOÇO:  sólido,  ligeiramente  arqueado  após  a  nuca,  de  comprimento  médio, bem proporcionado. Cabeça portada alta e orgulhosa. Sem barbelas, de seção oval. Seu comprimento é ligeiramente inferior ao da cabeça.

TRONCO: bem proporcionado. O comprimento do corpo é ligeiramente superior a altura da cernelha.

Cernelha: moderadamente desenvolvida.

Dorso: curto. Linha superior harmoniosa e bem firme. A altura da cernelha é sensivelmente igual a altura da garupa ao solo.

Lombo: Firme e musculoso.

Garrupa: arredondada, sem ser caída.

Antepeito: A extremidade do esterno deve ser ligeiramente saliente e situada bem alta.

Peito: descido até a altura dos cotovelos; sua largura é igual a 2/3 da altura. Nos Poodles Grandes, o perímetro torácico, medido atrás das escápulas, deve ser superior, em pelo menos 10 cm a altura na cernelha. Peito de seção oval, largo na parte dorsal.

Ventre e Francos: ascendente, sem ser esgalgado.

CAUDA: de inserção bem alta, no nível da linha superior. Pode ficar natural ou ser amputada, permanecendo um terço (1/3) mais próximo do corpo ou a metade do seu comprimento. A cauda é pendente, quando em stay. Em movimento, a cauda é portada obliquamente.

MEMBROS

Membros Anteriores: perfeitamente retos e paralelos, bem musculosos com uma boa ossatura. A altura do cotovelo ao solo é ligeiramente superior a altura da cernelha ao cotovelo.

Ombros: Oblíquos e musculosos. Angulação escápulo-umeral de aproximadamente 110º.

Braços: o comprimento dos braços corresponde ao comprimento das escápulas.

Carpos: no mesmo alinhamento do antebraço.

Metacarpos: sólidos e quase retos, vistos de perfil.

Patas: muito pequenas, fechadas, de forma oval curta. Os dedos são bem arqueados e juntos. As almofadas são duras e espessas. As unhas são pretas nos exemplares pretos e cinzas. São pretas ou marrons nos exemplares marrons. Nos brancos, as unhas podem ter todas as gamas do marfim até o preto. Nos abricós e fulvos avermelhados, são marrons ou pretas.

Membros Posteriores: paralelos, vistos por trás; músculos desenvolvidos e bem aparentes. Os jarretes são bem angulados. As angulações coxofemural, tíbio-femural e tíbio-tarsiana, devem ser bem acentuadas.

Coxas: bem  musculosas e fortes.

Metatarsos: bem curtos e verticais. O Poodle deve nascer sem ergôs nos membros posteriores.

Patas: com as mesmas características das anteriores.

MOVIMENTAÇÃO: O Poodle tem uma movimentação elástica e leve.

PELE: Flexível, sem flacidez, pigmentada. Os Poodles pretos, marrons, cinzas, abricós e fulvos avermelhados devem ter uma pigmentação conforme a cor da pelagem. Para os brancos, a pele ideal é a prateada.

PÊLO:

Poodle de pêlo cacheado: pêlo abundante de textura fina, lanoso, bem ondulado, elástico e resistente à pressão da mão. Espesso, farto, de comprimento uniforme, formando cachos iguais.

Poodle de pêlo encordoado: pêlo abundante, de textura fina, lanoso e fechado, formando cordões bem característicos. Devem medir ao menos 20 cm.

COR: pêlo unicolor: preto, branco, marrom, cinza, abricó e fulvo avermelhado.

a. Marrom – deve ser sólido, bem escuro, uniforme e vivo. O bege e seus tons  derivados mais claros não são admitidos.

b. Cinza – deve ser uniforme: suas gradações de tonalidade não devem tender nem ao preto nem ao abranco.

c. Abricó – deve ser de uma tonalidade uniforme, sem tender ao fulvo pálido ou areia, nem ao fulvo avermelhado.

d. Fulvo Avermelhado – deve ser de uma tonalidade uniforme sobre toda a pelagem. Não deve, em nenhum caso, tender ao abricó.

Pálpebras, trufa, lábios, gengivas, palato, orifícios naturais, escroto, almofadas plantares são bem pigmentadas.

TAMANHO

1. Poodles Grandes: acima de 45 cm até 60 cm, com uma tolerância de 2 cm a mais. A reprodução do Poodle Grande deve ser desenvolvida e ampliada apartir do Poodle Médio, uma vez que ele guarda as mesmas características.

2. Poodles Médios: acima de 35 cm até 45 cm.

3. Poodles Anões: acima de 28 cm até 35 cm.

O Poodle Anão deve exibir em seu conjunto o aspecto de um Poodle Médio reduzido, conservando, do mesmo modo, as mesmas proporções, sem apresentar qualquer característica de nanismo.

4. Poodle Toy: acima de 24 cm até 28 cm (a altura ideal é de 25 cm) e até 24 cm (tolerância de menos 1 cm). O Poodle Toy conserva, em seu conjunto, o aspecto de um Poodle Anão e as mesmas proporções gerais correspondendo a todas as exigências do padrão. Qualquer sinal de “nanismo” é exluído, somente a crista occipital pode ser um pouco menos acentuada.

FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrãodeve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade.

  • dorso carpeado ou selado
  • cauda inserida muito baixa
  • exemplar muito nervoso
  • dentes:
  1. ausência de 2PM1 não são levados em consideração.
  2. ausência de 1 ou 2 PM2, se forem simétricos.
  3. ausência dos 3º molares (M3) não é levada em consideração.

FALTAS GRAVES

  • trufa parcialmente despigmentada.
  • focinho fino.
  • focinho pontudo.
  • cana nasal arqueada (nariz romano)
  • dentes: ausência de 2 PM2 não simétricos
  • olhos muito grandes ou profundos nas órbitas, insuficientemente escuros.
  • orelhas muito curtas.
  • angulação posterior muito reta.
  • andadura deslizante ou alongada.
  • pelagem escassa, mole ou dura.
  • cor indefinida ou sem uniformidade: cinza enegrecido ou cinza esbranquiçado,  fulvo pálido, pelagem creme, bege ao marrom ou marrom muito escuro.

FALTAS ELIMINATÓRIAS

  • cão agressivo ou medroso.
  • trufa totalmente despigmentada.
  • falta de tipicidade, particularmente na cabeça;
  • prognatismo superior ou inferior.
  • dentes:
  1. ausência de 1 incisivo, de um canino ou um pré-molar.
  2. ausência de 1 PM3 ou de 1 PM4.
  3. ausência de 3 PM (ou mais) excente PM1.
  • ausência de cauda ou cauda curta.
  • ergôs ou marca de ergôs nos membros posteriores.
  • exemplar cuja pelagem não seja unicolor;
  • manchas brancas e pêlos brancos nas patas;
  • exemplares ultrapassando 62 cm para os Poodles Grandes e inferior a 23 cm para os Poodles Toys.
  • todo exemplar que apresentar sinais de “nanismo”: crânio globuloso, ausência de crista occipital, stop muito marcado, olhos proeminentes, focinho muito curto e virado para cima, maxilar inferior e queixo retraídos.
  • sulco mediano praticamente inexistente.
  • ossatura muito leve nos Poodles Toys.
  • cauda enrolada com a extremidade caindo sobre o flanco ou a garupa.

NOTAS:

  • os machos devem apresentar dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.
  • todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.
%d blogueiros gostam disto: