Hipetermia

Com o aumento da temperatura devemos redobrar alguns cuidados com nossos pets para evitar um quadro de hipetermia, que pode levar até a morte do animal.

Os animais não transpiram pela pele como nós humanos, sua transpiração ocorre através da respiração e também pelos coxins plantares (almofadinhas das patinhas), como essas regiões são muito pequenas em relação ao corpo, a elevação da temperatura corpórea pode ocorrer muito rápido, e com isso ocasionando a hipetermia.


Os sintomas são: respiração ofegante, hipersalivação, temperatura corpórea acima dos 40º, taquicardia, arritmia cardíaca, vômitos e diarréias muitas vezes com sangue, manchas e hematomas dispersos pelo corpo, alterações mentais, convulsões, tremores musculares, dificuldade de locomoção ou até perda da coordenação motora, diminuição ou ausência da produção de urina, coma e parada cardiorrespiratória. O tratamento deve ser imediato, sem o tratamento adequado pode ocasionar a morte do pet.

Qualquer animal pode sofrer deste mal desde que exposto a altas temperaturas, ou a estresse e  atividade intensas em dias muito quentes, por isso cautela é essencial. Cães com o focinho mais curto como Bulldog Inglês, Bulldog Francês, Shih Tzu, Pug entre outros tem uma predisposição maior a esta patologia. Estão mais predispostos também cães de porte gigante, obesos, filhotes, e cães de pelagem longa e densa.


Aos primeiros sintomas o animal deverá ser retirado imediatamente do local, e colocado sob ventilação adequada. Para um primeiro atendimento deve-se borrifar água no animal, ou umidecer toalhas e colocá-las sobre o corpo, jamais  se deve submergir o pet em água fria pois isso pode piorar muito o quadro. Preste os primeiros socorros e procure imediatamente o médico veterinário.

Como evitar:

– Jamais deixe o pet preso no carro, mesmo com as janelas abertas.

– Jamais o deixe preso em ambientes sem ventilação, ou sem acesso a sombra e água fresca.

– Evite passeios ou atividades fisícas entre as 10:00 e 17:00 hrs, e sempre ofereça água fresca.

– Dê banhos com a temperatura da água amena, e secador frio ou morno.

– Evite que o pet se estresse, pois isso o deixa ofegante seja por medo ou insegurança.

– Animais obesos e de focinho curto, ou que possuem alguma dificuldade respiratória devem evitar os exercícios fisícos.

– Evite o uso de focinheira, principalmente em locais quentes ou fechados.

– Mantenha sempre vários potes com água fresca a disposição.

– Não recrimine seu pet se ele colocar as patinhas no pote de água, ele pode apenas estar seguindo seu instinto para regular a temperatura corpórea.

– Se está acostumado a ficar dentro de casa coloque ventiladores para aliviar o calor.

– Evite bebedouros de bilha, pois a oferta de água é menor e o pet pode se cansar e não se hidratar na quantidade necessária.

– Evite viagens em horários mais quentes, em caso de viagens aéreas procure sempre os horários da manhã ou a noite, e de preferência sem escalas. Acostume antes o cão a caixa de transporte para evitar o estresse.

Patrícia Stunitz – Green Day Kennel

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: